Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fez-se História em Cascais! SerCascais Formaliza Candidatura Independente

por cascalenses, em 31.07.13

 

 

 

 

O Movimento SerCascais, liderado por Isabel Magalhães, formalizou ontem a sua candidatura independente às eleições Autárquicas que decorrerão em Setembro próximo.

 

O momento, registado nas fotografias, representa um marco histórico em Cascais.

 

Pela primeira vez, um grupo de cidadãos independentes conseguiu ultrapassar todas as vicissitudes impostas pelos partidos políticos através da Lei e reunir as muitas condições necessárias para concretizar este desiderato. É importante salientar que, em total desigualdade com aquilo que é pedido aos partidos políticos, uma candidatura independente exige em Cascais a constituição de um processo envolto em burocracia e assente em 4000 assinaturas de munícipes que subscrevam o projecto.

 

Apesar de tudo, o Movimento SerCascais foi o primeiro a formalizar este acto e a entregar no Tribunal de Cascais cerca de 6000 assinaturas de Cascalenses! Com este acto, a líder do Movimento Independente SerCascais comprova que é possível alterar as regras do jogo imposto pelos partidos e assegurar que o futuro de Cascais é devolvido aos Cascalenses.

 

No acto formal da entrega do processo de candidatura independente, Isabel Magalhães esteve acompanhada pelo mandatário António Carneiro Pacheco e pelos candidatos às presidências das quatro juntas de freguesia: Cascais/Estoril – João Baraona; Alcabideche – Rui Branquinho; Parede/Carcavelos – Rui Frade Ribeiro; e São Domingos de Rana – António Penaforte Rodrigues. Nesta ocasião tão marcante para a definição do futuro municipal de Cascais, estivarem também muitos munícipes e apoiantes do Movimento SerCascais que, com a sua presença, marcaram de forma muito peremptória a exigência de um futuro diferente para a sua terra. Fez-se História em Cascais.

 

Veja nestes links as fotografias e o vídeo deste dia especial. Porque vale a pena SerCascais!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:31

SerCascais - Formalização da Primeira Candidatura Independente

por cascalenses, em 30.07.13

Momento histórico em Cascais em que o Movimento SerCascais, liderado por Isabel Magalhães, formaliza a primeira candidatura independente de sempre às Eleições Autárquicas Cascalenses. Mais de 6000 assinaturas marcaram um dia que fica para a História e que prova que... vale a pena SERCASCAIS!


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:06

Religiosidade e Sacralidade em Cascais

por cascalenses, em 25.07.13

por João Aníbal Henriques

A vida religiosa de Cascais, profundamente marcada pela dicotomia existente entre um litoral vincado pela actividade piscatória e um interior onde a agricultura se afigura como a principal actividade dos munícipes, caracteriza-se por uma incomparável riqueza em termos patrimoniais e, sobretudo, em termos dos usos e costumes centenários que se mantêm vivos nos arquétipos culturais da população.

A ligação sempre perene que Cascais estabelece com o passado, determinante em algumas das suas mais importantes áreas de intervenção, permite às diferentes gerações que ocuparam este espaço a partilha de rituais e de cultos, os quais se vão misturando, num processo serôdio e complicado, até renasceram numa forma nova, que obriga à criação de estruturas próprias para os abrigar.

Da pré-história até à actualidade, muitos são os vestígios desta ritualidade cascalense, visível não só através dos monumentos e edifícios Cristãos, como também na expressão artística e cultural daqueles que aqui habitam. Em grande parte dos casos, mesmo nas expressões mais recentes dessa religiosidade, é fácil sentir no que hoje se constrói, a marca omnipresente do que já ali havia existido, facto que garante a Cascais uma posição única no vasto emaranhado de cultos e crenças saloias e piscatórias que caracterizam desde sempre a ecuménica e recentemente cosmopolita Península de Lisboa.

Iniciando-se na Vila de Cascais, onde podemos encontrar alguns dos mais representativos exemplares da arquitectura religiosa do Concelho, o presente roteiro sugere uma passagem demorada pelas formulações mais humildes da construção religiosa de bases rurais. A Capela de São Brás, na Areia, construído num espaço muito próximo da Capela de São José, na Quinta da Bicuda, define a sua orientação em função do passado, recriando uma ponte de ligação cultualística que o presente se encarregou de fomentar.

A viagem continua, mantendo em permanência o rumo rural do Concelho, através das antigas aldeias de Murches, Malveira-da-Serra, Manique e Alcoitão, onde o visitante encontra alguns dos exemplares mais interessantes nos quais a arquitectura de base chã se vai misturando com expressões mais eruditas e conservadoras.

A religiosidade de cariz particular, com o culto privado a marcar presença nas vetustas quintas dos grandes produtores de outrora, é caracterizada pela sua permanente abertura à sociedade. De facto, e ao contrário do que é normal acontecer noutras regiões do País, as capelas privadas de Cascais foram sempre espaços de partilha, nos quais a condição social ou a profissão se esbatia em prol de uma mistura na qual a Igreja desempenhava papel fundamental e preponderante.

Antes de terminar, o visitante deverá observar com atenção os importantíssimos exemplares de artes sacra contidos em alguns destes espaços, os quais se combinam com interessantes e milenares  lendas populares, nas quais o imaginário cultual de outrora se mistura com a expressão tradicionalista do catolicismo actual.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:58

RaLF @ Espigão das Ruivas

por cascalenses, em 22.07.13


RaLF no Espigão das Ruivas com João Paulo Sequeira, Paulo Medeiros, Catherine Freitas, Ludmila Deineko, Frank Maus, Anastasia Raykova, Irene Zandwijk, Tine Lovendhal, Solenn Alazet, Alexandra Christiansen e João Aníbal Henriques

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:33

No Coração de Caparide com Isabel Magalhães, João Rei, Rusa Hespanha e João Aníbal Henriques

por cascalenses, em 19.07.13





Situado no coração do Concelho de Cascais, o Vale de Caparide é um dos locais ideais para se perceber com rigor a multifacetada paisagem municipal e, dessa maneira, para se contextualizarem as muitas potencialidades que o território possui, associadas a necessidades práticas que urge resolver e implementar.


Foi isso que fez o Movimento SerCascais. Liderado por Isabel Magalhães, Presidente do SerCascais, a candidata independente à Presidência da Câmara Municipal de Cascais partilhou a sua perspectiva relativamente ao planeamento urbano de Cascais, assente no assumir da vocação municipal e na redinamização das várias actividades económicas de suporte que cumprem o objectivo de manter sustentável o desenvolvimento municipal.


Mantendo a qualidade de vida dos munícipes como ponto central da sua abordagem, Isabel Magalhães analisou a problemática da legalização dos bairros clandestinos, a reconversão da rede viária, a recuperação das infra-estruturas primárias e, sobretudo, a reafirmação do turismo enquanto actividade estruturante.


 Nesse campo, a recuperação da marca internacional – Estoril – aproveitando as inúmeras potencialidades cénico-paisagísticas que Cascais apresenta e a existência de corredores verdes de grande beleza e boas acessibilidades que ligam o mar e a faixa litoral ao coração do Parque Natural de Sintra-Cascais, assume-se como desiderato principal, dele derivando uma série de projectos de segunda linha que permitirão devolver qualidade de vida às várias centralidades degradadas que proliferam pelo interior do Concelho.


Com o intuito de profundar estes projectos e de os partilhar com os munícipes Cascalenses, fomentando a intervenção cívica e a cidadania activa que são essenciais para assegurar a representatividade dos habitantes na gestão municipal, ficou agendado para breve um passeio SerCascais a este lugar tão especial. 

































Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:53

Estoril de Sangue com Isabel Magalhães e João Aníbal Henriques

por cascalenses, em 17.07.13




Numa iniciativa conjunta da ALA – Academia de Letras e Artes, Movimento SerCascais e AMME – Associação de Moradores do Monte Estoril, decorreu mais um passeio pedestre “Um Estoril de Sangue”, guiado por Isabel Magalhães e João Aníbal Henriques


O périplo, que passou em revistas algumas das muitas estórias que deram forma à História dos Estoris, contou com a participação de mais de seis dezenas de interessados que partilharam a sua ligação ao passado, ao presente e, sobretudo, as suas perspectivas e anseios relativamente ao futuro do Monte Estoril e do Estoril. 


Assumindo o turismo como a grande vocação municipal de Cascais, e entendendo esse sector de actividade como fundamental para a afirmação do Concelho na Europa e no Mundo, o passeio mostrou e comprovou a autêntica preciosidade que representa a existência deste local tão especial. A marca “Turismo do Estoril”, sonha, pensada e concretizada desde 1870, continua viva, pujante e plena de potencial, assentando num reconhecimento internacional que resulta da soma do muito empenho e dedicação que ao Estoril ofereceram várias gerações de Estorilenses empreendedores e dinâmicos. De José Jorge de Andrade Torrezão a Carlos Anjos e ao Conde de Moser, e destes a João de Deus Ramos, José Dias Valente, Aníbal Henriques, Monsenhor António José Moita, Fausto Cardoso de Figueiredo e muitos outros, vai uma viagem de muitas gerações assente em pressupostos de excelência que urge recuperar…




Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:08

Patinhas de Cascais com Isabel Magalhães e João Aníbal Henriques

por cascalenses, em 17.07.13

Num acto de profundo significado para as várias dezenas de participantes, o Movimento SerCascais levou a cabo mais um dos seus passeios turísticos através da realidade extraordinária de um Concelho profundamente impactante. 

Num percurso antigo, decalcado dos caminhos velhos usados pelos pastores e lavadeiras que desciam das faldas da serra até à Vila de Cascais, Isabel Magalhães e João Aníbal Henriques levaram os participantes através de um conjunto de memórias comuns que deram forma à terra, aos usos e costumes e à identidade local. 

Este exercício, que aproxima Cascais dos Cascalenses, insere-se num programa mais vasto que visa revitalizar o Turismo do Estoril, reassumindo-o como a vocação essencial de um Concelho que possui todas as características que lhe garantem a possibilidade de se transformar num destinos de excepção num futuro não muito distante.

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:57

Vídeo "Espigão das Ruivas Hard" com Isabel Magalhães e João Aníbal Henriques

por cascalenses, em 17.07.13


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:51

Espigão das Ruivas Hard com Isabel Magalhães e João Aníbal Henriques

por cascalenses, em 17.07.13

 

 

Existem momentos e lugares que cruzam memórias com os mas profundos arquétipos da imaginação. Ali se encontram as recordações que carregamos, as aspirações que transportamos e os sonhos mais extraordinários… ali se reúnem a vontade com o desejo, promovendo formas alternativas de entender o Mundo, a vida, as coisas e os outros… Foi isso mesmo que aconteceu no passeio pedestre nocturno “Espigão das Ruivas Hard”, organizado para o Movimento SerCascais e guiado por Isabel Magalhães e João Aníbal Henriques. Uma aventura através das estórias da História, entre a Praia do Guincho e o Cabo da Roca, iluminada por um luar subtil e pela vontade férrea de definir um novo futuro para Cascais. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:41

Mistérios de Portugal na Quinta da Regaleira

por cascalenses, em 16.07.13



Detalhes profundos de vida (e morte) desvendando os mistérios mais sublimes da existência e os laivos gentis da Portugalidade, fazem parte do legado deixado por António Carvalho Monteiro (o Monteiro dos Milhões) na sua Quinta da Regaleira, em Sintra. Uma visita guiada por João Aníbal Henriques através da sabedoria milenar de um Português muito especial…




Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:58


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2002
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2001
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2000
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D
  261. 1999
  262. J
  263. F
  264. M
  265. A
  266. M
  267. J
  268. J
  269. A
  270. S
  271. O
  272. N
  273. D
  274. 1998
  275. J
  276. F
  277. M
  278. A
  279. M
  280. J
  281. J
  282. A
  283. S
  284. O
  285. N
  286. D
  287. 1997
  288. J
  289. F
  290. M
  291. A
  292. M
  293. J
  294. J
  295. A
  296. S
  297. O
  298. N
  299. D

subscrever feeds